Na medicina Veterinária, uma das áreas de atuação é a da Medicina Física e Reabilitação Animal. Trata-se de uma valência da Medicina Veterinária que permite dar continuidade a outras especialidades, nomeadamente a Ortopedia, a Neurologia e a Cirurgia, já que muitas das indicações terapêuticas são aplicáveis a condições que se enquadram nestas especialidades. Adicionalmente, nas valências da Oncologia, da Geriatria e até da Medicina Interna podemos também encontrar condições clínicas que podem beneficiar grandemente das modalidades terapêuticas disponíveis, como é o caso da Dor Crónica.

Sendo a Medicina Física e a Reabilitação Animal aplicável às diferentes espécies animais, só um profissional no âmbito da saúde animal, capaz de conhecer as especificidades inerentes às diferentes espécies e às distintas condições clínicas é que deverá poder decidir e atuar. Desta forma, é do âmbito da atuação Médico Veterinária o diagnóstico e a decisão terapêutica, a qual poderá ser executado pelo próprio médico veterinário ou por um enfermeiro veterinário com competências para tal e sempre com a adequada supervisão médico veterinária.

 

Dentro das modalidades aplicáveis no âmbito da Medicina física e Reabilitação destacam-se:

  • as terapias manuais e manipulativas (massagem, quiroprática e osteopatia);
  • a cinesioterapia passiva e ativa (exercícios passivos e ativos vários)
  • os meios físicos, nos quais se integra a termoterapia superficial, a crioterapia e criopressoterapia, as ondas de choque, a diatermia, os ultrassons, o Laser (sobretudo os mais atuais – Laser classe 4), a eletroterapia, entre outros
  • a hidroterapia (marcha subaquática e natação)
  • a acupuntura
  • outras áreas emergentes, tais como a terapia regenerativa e algumas terapias não convencionais.

Fig.1 – Hidroterapia em marcha subaquática

Cada uma destas modalidades deve ser elegida com base nas suas especificações e indicações terapêuticas, respeitando sempre possíveis e eventuais contra-indicações ou precauções especiais. Para além disso, o momento de introdução de cada modalidade deve respeitar o estado fisiológico atual do animal, o momento da cicatrização em que se encontra, a técnica cirúrgica elegida e as co-morbilidades associadas, isto é, outras condições inerentes ao animal que podem comprometer ou condicionar o plano terapêutico.

Na hora de eleger a melhor solução terapêutica, o médico veterinário olha aos benefícios e às indicações terapêuticas de cada modalidade. Entre os benefícios terapêuticos gerais destas modalidades salientamos aqui:

  • O tratamento da dor
  • A melhoria na mobilidade geral
  • A melhoria na qualidade de vida e bem-estar
  • A potenciação e aceleração da cicatrização
  • A redução de complicações associadas à imobilização prolongada
  • A melhoria na função cardiorrespiratória e muscular
  • A melhoria na circulação sanguínea e no retorno venoso
  • O encurtamento do período pós cirúrgico
  • O restauro da função neurológica e muscular
  • A melhoria na postura e no desempenho motor
  • A prevenção de posturas compensatórias e antiálgicas
  • A redução do peso em animais com excesso de peso

Fig.2- Electroacupuntura

 

As condições clínicas que podem beneficiar destas modalidades são:

  • Pós Cirurgia ortopédica
  • Pós Cirurgia de tecidos moles
  • Doença osteoarticular
    • Artrose
    • Artrite
  • Doença neurológica
    • Discoespondilite
    • Hérnia discal (cirúrgica e não cirúrgica)
    • Síndrome vestibular
    • Traumatismo medular
    • Embolia fibrocartilagínea
    • Neuropatia
  • Patologia miofascial
    • Pontos gatilho
    • Bandas tensas
    • Contraturas musculares
  • Dor aguda
  • Dor crónica
  • Claudicação
  • Parésia/plegia
  • Inflamação aguda e crónica
  • Cicatrização de feridas
  • Fraturas
  • Tendinopatias
  • Obesidade

 

Os animais de trabalho e de aptidão desportiva também encontram benefício nas modalidades de reabilitação, seja na melhoria da sua performance, seja na prevenção e no tratamento de lesões inerentes à sua atividade diária.

Fig.3- Laserterapia

Caso o seu animal necessite e se enquadre em alguma destas indicações poderá solicitar ajuda ao seu médico veterinário assistente que tratará de encaminhar o seu animal para um médico veterinário com competências nesta área.

 

Cátia Mota e Sá

DVM, MSc, CCRP, Dipl. Cert Quiroprática Animal

Responsável Serviço Diagnóstico e Tratamento da Dor e Reabilitação Física Animal do grupo Clínica Veterinária das Oliveiras.

Vice-Presidente da APAMV – Associação Portuguesa de Acupuntura Médico-Veterinária.

Please follow and like us: