O diagnóstico das hérnias discais de extrusão pode ser feito através de uma radiografia/mielografia (radiografia com meio de contraste inoculado de forma a delimitar a medula espinal), de tomografia computorizada (TAC) ou de ressonância magnética (RM). O exame de eleição para o estudo de alterações da medula espinal é a ressonância magnética, que nos permite ver, não só o material de disco herniado (hérnia), mas também a lesão medular associada. Quer a mielografia, a TAC e a RM são exames feitos sob anestesia.

O material discal pode herniar quer na sua forma normal (consistência gelatinosa) quer degenerado (calcificado).

Fig1 – Hérnia discal de extrusão diagnosticada por TAC

Fig2 – Hérnia discal de extrusão diagnosticada por RM

Tratamento

Dependendo da gravidade dos sinais apresentados pelo animal e do tipo de hérnia apresentada (material hidratado vs calcificado, tamanho do material no canal medular, presença de hematoma associado), o médico veterinário decide qual tratamento deverá ser realizado, tendo em conta cada animal individualmente.

O tratamento pode ser conservativo (recurso a medicação, repouso e fisioterapia) ou cirúrgico (recorrendo a cirurgia à coluna, em associação ao tratamento conservativo).

Tratamento conservativo

O tratamento conservativo engloba a prescrição de anti-inflamatório, analgésicos, repouso ou restrição de movimentos, e fisioterapia, que pode ser feita em casa ou num centro veterinário. Nestes casos, é importantíssima a restrição da normal actividade do animal, uma vez que movimentos repentinos/saltos podem piorar a condição neurológica. No que concerne à fisioterapia, tal como em medicina humana, cada protocolo é elaborado consoante a condição neurológica do animal e adaptado para as diferentes fases de recuperação.

Imagens de vários tipos de fisioterapia e reabilitação veterinária

Tratamento cirúrgico

Já o tratamento cirúrgico pressupõe o internamento do animal no centro veterinário durante alguns dias, e a técnica cirúrgica utilizada depende da localização da hérnia na coluna (coluna cervical ou toraco-lombar).

Admitimos que falar em cirurgia à coluna possa ser assustador para os tutores, e na realidade é uma técnica de precisão, sendo por isso realizada apenas por veterinários especialistas em cirurgia ortopédica e neurológica.  Como qualquer cirurgia, acarreta sempre alguns riscos, quer a nível anestésico (são essenciais as análises ao sangue antes da cirurgia e a avaliação da saúde do cão) quer a nível de procedimento (por exemplo, a cirurgia de uma hérnia cervical é mais complicada a nível técnico pois envolve uma zona onde passam muitas estruturas vitais: veias jugulares, esófago, por exemplo).

Diferentes tipos de cirurgia: técnica de resolução de hérnia cervical

Diferentes tipos de cirurgia: técnicas de resolução de hérnia toracolombar.

O pós-cirúrgico varia de animal para animal: alguns recuperam muito rápido e em poucos dias estão em casa, outros precisam de internamento mais tempo (ou por não urinarem sozinhos, ou por apresentarem ainda alguma dor, ou necessitarem de cuidados específicos). Não obstante, a cirurgia remove o material que está a comprimir a medula, mas depois é necessário um trabalho conjunto do tutor e veterinário ao longo de semanas, até à recuperação completa, incluindo na mesma o tratamento conservativo discutido acima.

No próximo texto vamos abordar a pergunta que a maioria dos tutores faz: E se o meu melhor amigo não recuperar?

Vânia Evaristo

Médica Veterinária

Hospital Referência Veterinária Montenegro

Please follow and like us: