A torção testicular é uma patologia dolorosa e geralmente aguda que decorre da rotação de um ou ambos os testículos sobre o seu eixo horizontal. Este movimento leva ao estrangulamento do cordão espermático e o bloqueio da circulação sanguínea testicular causando congestão venosa, necrose tecidular (morte dos tecidos) e danos testiculares irreparáveis.

A sua incidência aumenta em testículos intrabdominais/criptorquídicos (maior mobilidade), tumores testiculares e, com menos frequência, por ruptura do ligamento escrotal em situações traumáticas. A inflamação do parênquima testicular (orquite) e/ou do epidídimo (epididimite), independentemente da causa, aumenta o risco de torção testicular pela inflamação associada.

            Os sinais clínicos mais comuns incluem inchaço/tumefacção testicular com muita dor associada. No entanto, em animais com testículos intrabdominais (criptorquidicos) os sinais clínicos podem ser inespecíficos como relutância a andar, prostração/apatia, perda de apetite, vómitos, febre, dor abdominal e, em casos severos, choque com risco de vida para o animal.

O diagnóstico de torção testicular inclui o exame clínico geral com avaliação testicular. Quando o animal é criptorquídico pode ser notória a presença de dor à palpação do abdómen e, em alguns casos, pode ser palpável uma massa abdominal. Na presença de uma tumefacção testicular (quando os testículos estão na sua posição normal) o Médico Veterinário irá procurar evidências de nódulos/massas assim como lesões traumáticas como perfurações, lacerações e hematomas. A realização de análises sanguíneas e de urina permitem avaliar condição clinica do animal assim como sinais de inflamação/infecção associadas. A ecografia testicular e abdominal vai permitir avaliar o parênquima testicular e verificar a presença de fluxo sanguíneo normal a nível testicular independentemente dos testículos estarem na bolsa escrotal ou intrabdominais.

Em machos com interesse reprodutivo recomenda-se a realização de espermograma (avaliação do sémen), o despiste de Brucella canis, Mycoplasma spp. e cultura para descartar possíveis infecções bacterianas associadas.

            A torção testicular é uma emergência médica e o tratamento de eleição é cirúrgico. Em animais críticos e em choque é aconselhável a estabilização prévia com fluidoterapia (soro intravenoso) e terapia de suporte. Em caso de testículos localizados a nível escrotal a orquiectomia (remoção do testículo) é o tratamento recomendado.

Nos animais criptorquidicos, com testículos intrabdominais, é sempre aconselhável a realização de laparotomia exploratória (abertura cirúrgica da cavidade abdominal para exploração) para identificação e remoção dos testículos. Após a orquiectomia deve ser realizada a análise histopatológica do testículo e cultura do tecido testicular para despiste de tumores e/ou infecções associadas.

Em animais com interesse reprodutivo, não criptorquídicos, é possível remover apenas o testículo afectado (hemicastração). No entanto, é uma decisão a ser tomada com alguma precaução em conjunto com o Médico Veterinário tendo em conta que a causa da torção testicular pode ter origem infecciosa ou neoplásica e, consequentemente, ter impacto negativo na capacidade reprodutiva futura do animal.

A recuperação após a resolução cirúrgica tende a ser rápida e com bom prognóstico excepto em casos de tumores testiculares malignos com evidência de metastização (disseminação de células tumorais para outros tecidos e órgãos).

A torção testicular é uma urgência médica – por vezes difícil de identificar (sobretudo em criptorquídicos) – que representa risco de vida para o seu animal. Não desvalorize sinais inespecíficos, esterilize o seu animal se for criptorquídico e com isso prolongue a vida do seu amigo de quatro patas.

Patricia Soares

Médica Veterinária

Hospital Referência Montenegro

Please follow and like us: